O diretor regional da Saúde acaba de admitir à RTP Madeira que as medidas restritivas que vão entrar em breve em vigor não têm enquadramento legal.

“É uma obrigação moral e social mas do ponto de vista estritamente legal não é uma obrigação porque tal só podia acontecer no estado de emergência. Estamos perante uma situação que pode descontrolar nas próximas duas semanas, por isso a palavra recomendação ou obrigação tem pouco significado. É uma obrigação moral e social perante o estado atual”, realçou há pouco Herberto Jesus.